Medo


Medo - Publicado originalmente em marceloaugusto.wordpress.com

O Grito de Edvard Munch- Imagem publicada em marceloaugusto.wordpress.com

medo de 2009 acabar e não dar tempo de fazer tudo que estava planejado. Medo de 2010 não ser do jeito que gostaríamos que fosse. O medo, de certo modo, vive nos cercando. Por exemplo: o medo de tomar decisões erradas ou o medo de como as coisas vão ser diante de uma mudança.

O medo, assim como tudo na vida, tem seu lado positivo e seu lado negativo. O bom do medo é que ele funciona como freio em várias situações. Antes de fazermos algo cabuloso, ficamos temerosos, ai pensamos e repensamos. Em via de regra, coloca-se na balança os prós e contras: se as coisas boas decorrentes da decisão pesarem mais do que as coisas ruins, o medo, teoricamente, perde força. Aí conseguimos carminhar com mais tranquilidade do que antes. Entretanto, se as coisas ruins pesarem mais, é o caso de dar meia volta e pegar outra estrada.

O lado ruim do medo é quando se pondera sobre poucos pontos ou pontos não tão importantes sobre determinada decisão. Daí a balança poderá apontar para um resultado incorreto. Pior ainda é nem pesar nada, apenas ficar inerte pelo medo. Sei que é algo estranho, mas todos tem suas próprias razões, então, sei lá.

Se não fosse o medo, acho que as pessoas fariam ainda mais bobagens na vida do que o habitual. Todavia, há momentos que o medo precisa ser sufocado, para que se possa aproveitar as oportunidades. Afinal, como diz meu progenitor:

“Um oportunidade perdida, é como perder o trem com o bilhete na mão.

Ele não volta pra te buscar. Pode ser que passe outro trem com

o mesmo destino e que aceite o seu bilhete, mas não é nada garantido.”

Logo, é preciso antetar para o número do trem que está em nosso bilhete. Voltando a falar sobre medo. O medo da mudança é um bem comum, várias pessoas sentem, inclusive eu. Mudança é algo assustador, sobretudo quando estamos em nossa zoninhade conforto. Então é bem difícil sair dela pra ir desbravar novos territórios, como por exemplo: mudanças de trabalho, de estilo de vida, de casa ou  de setor na empresa. O que fazer nessas horas? Sinceramente, não faço idéia. Mas algo que me parece usual é ponderar também nos prós e contras coforme foi dito antes. E funciona? Isso é tão pessoal que seria petulância dizer se sim ou se não(como também é petulancia ficar aqui discorrendo sobre esse assunto).  Só sei que vale a pena se lembrar dessa questão do trem que falei ainda pouco.

Existem ainda tantos outros medos:

  • medo de magoar as pessoas
  • medo de não ser feliz
  • medo da solidão
  • medo de ficar doente
  • medo de passar necessidade
  • medo da chuva (isso não é bobagem se a pessoa mora num lugar que alaga)
  • medo de morrer (você acredita que tem gente que teme isso, sendo é a única certeza que temos na vida, ironico né?!)
  • medo de não ser fiel aos seus ideiais
  • medo de errar

Diante de tantos medos, como fiz algumas coisas com uma furadeira nessa semana, vou usar essa metáfora: imagino cada medo uma superfície a ser transpassada. Não se pode usar a mesma *broca em todos os tipos de materiais que se pretende furar. Nesse link que eu coloquei na broca, ele explica como essa haste metalica deve ser usada e quais as recomendações, com relação a material que se prentende perfurar. Ou seja, pra cada tipo de material, existe uma broca especifica. Os medos, pra mim, funcionam da mesma forma, pra cada tipo, deve-se lançar mão de uma ação específica para ajudar a controlá-lo. Assim, você irá conseguir transpor o material, sem maiores dificuldades.

Furadeira

Furadeira

Então é isso, me parece um bom começo, procurar quais medos temos para depois procurar quais brocas irémos usar. Ponderar quando for o caso, sufocar o medo e abraçar a oportuniadade quando couber.

Enfim, é isso. Feliz ano novo.

*broca é aquela haste de metal que vai na ponta da furadeira e é responsável por fazer o furo propriamente dito. Numa parede, por exemplo, depois do furo feito, é colocada a bucha(capinha de plástico que vai firmar o parafuro que será aparafusado.

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “Medo

  1. Muito legal o exemplo da broca, muito bem colocado o tema para essa época. onde pensamos sobre o velho e projetamos para o novo!

    Como diz Gibran:

    ” Toda semente é um anseio.”

    Então que 2010 possamos ter dias repletos de realizações; onde o medo não nos paralise diante das adversidades, e que os anseios sejam possíveis para a paz e amor!

  2. Pingback: coragem (Sim senhor) « Pense Sobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s