Nitidez, embaçado (O que não pode ser que não é)


Nitidez

Nitidez

pra alguém que usa óculos desde o 7 anos de idade, nitidez é um assunto bastante familiar. Eu pensava que as imagens bifurcadas eram normais pra todos os olhos. Ai a força que eu fazia pra ver uma coisa só e de maneira nítida, também parecia ser normal. Isso rolou até que a professora disse pra minha mãe me levar ao médico porque as caretas que eu fazia durante as aulas, além de estranhas, indicavam que algo estava errado. Semanas depois, eu via tudo nitidamente com meus óculos de armação cor de mel (foi minha mãe que escolheu o modelo dos óculos, um dia farei um post sobre traumas infantis).

Mas a questão é que volta e meia acontecem situações com pouca ou nenhuma nitidez.  Então, a reação natural, tal qual eu fazia quando criança ou quando esqueço os óculos em casa, é de fazer uma careta e se concentrar para tentar enxergar direito o que está acontecendo. Nem sempre a careta resolve, pois o esforço pra ver nítido acaba dando dor de cabeça (se você usa óculos ou tem algum problema de vista, sabe bem do que eu estou falando). Aí, das três uma:

  • ou espera a imagem ficar nítida por si só
  • ou procura uns óculos
  • ou deixa pra lá (sacudindo o ombro e fazendo de conta que nem queria mesmo)

Às vezes é embaçado fazer cada uma dessas coisas. As coisas ficam turvas, como se uma nuvem de fumaça estivesse tampando.  Isso ainda piora se você quer muito ver o tem por trás do embaçado. Esperar é *embaçado, sobretudo quando não se está com muita paciência.

Imagine que o embaçado é repleto de escritos, como a imagem de abertura do post. Imagine ainda, que você não sabe ler e nem sabe a diferença entre vogais e consoantes. Há situações em que as coisas são assim. Percebe-se um determinado ponto, como se aprendesse uma vogal:

——————————————————-

Alfabetizando

Vida, aprendi suas vogais

Mas ainda é preciso mais

Aprender consoantes

Antes de montar sílabas

Das sílabas, palavras

Das palavras, frases

Das frases, textos

Para bem ler você

em prosa e verso.

——————————————————-

e depois outro ponto e mais outro, até que se consegue enxergar o que há por detrás do embaçado. O dever de casa de aprender os tais pontos (letras: vogais e consoantes) se torna um prazer de casa. Mas como a vida aqui no jardim do medo é repleta de surpresas, algumas vezes se aprende as letras e quando se chega pra ler, o inscrito é um ideograma (e você olha para um lado e para outro esperando o Sérgio Malandro aparecer e gritar: Rá! Salcifufu malandro, gluglu!).

E aí, o que fazer?? Simples, nada, tem coisas que simplesmente não são e ponto final. Como diz aquela letra do Titãs: O que.

Nesse caso, a gente volta pra terceira opção que falei no início do post, deixa pra lá e vai buscar nitidez em outro canto.

*em São Paulo, usa-se a palavra embaçado para qualificar algo com complicado, complexo ou difícil

Anúncios

5 pensamentos sobre “Nitidez, embaçado (O que não pode ser que não é)

  1. Muito interessante seu post, Wesley. Achei bem realístico.

    Pior que perder a visão física é a cegueira no sentido de não enxergar além dos olhos carnais… É possível encontrar luz em meio as trevas, nesse caso, até os cegos podem ver nitidamente.

    Abraços… Marli.

  2. Olá Wesley, vim conferir a sua experiência de miopia.

    Além da sala de aula, num passeio alguém queria sorvete e eu mostrei um cartaz (de cerveja) achando que era de sorvete. À noitinha, já achei que tinha gente escondida atrás de poste, sendo que era apenas sombra. Mas a minha foi mais tardia, só aos 24.

    Acabei de chegar do oftalmo, pressão ocular alterada. Medirei novamente daqui a 2 meses. Mas o pesadelo mesmo é imaginar algum problema que me impeça de ler, como o mencionado pelo Borges: o Midas cercado de livros, inacessíveis. :P

    E curti o Titãs também aqui, fazia um tempinho que não ouvia. E adoro…
    Só que quando me aborreço com os óculos, eu canto: “Eu não nasci de óculos, eu não era assim, nãooooo”.

    Abç
    Tânia

    • eu uns 2 graus de astgmatismo em um dos olhos e um pouco menos no outro (nunca lembro qual é o bom, rs). Como aumentou muito pouco nas últimas duas décadas, eu nunca me preocupei em perder completamente a visão. Sobre se aborrecer com o óculos, não se preocupe, conforme o grau aumentar e você não conseguir ficar sem eles, passará a não notar que está usando – pode parecer sarcástico, mas foi assim que me acostumei com os meus =)

      No mais, seja bem vinda ao blog e volte sempre.
      [].
      Wesley.

  3. Pingback: tempo, passado, futuro « Pense sobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s