tempo: vendo, troco ou financio


Tempo é dinheiro (publicado em www.slashgear.com)

Tempo é dinheiro (publicado em http://www.slashgear.com)

Tempo é dinheiro? Existem algumas coisas que levam a crer que sim. Um exemplo clássico a questão de se usar a unidade de medida homem/hora para efeito de pagamento. Nos Estados Unidos isso é bem mais comum que no Brasil. Segundo ouvi de uns parentes que estão lá ilegalmente, se a pessoa é paga (hipoteticamente) por 8 dólares a hora, trabalhando 16h por dia, seu rendimento vai ser de U$ 128,00. Fazendo isso durante os 22 dias úteis do mês, ela vai conseguir cerca de 3 mil dólares mensais, além de uma puta estafa, é claro.
Pois bem, seguindo esse raciocínio, posso dizer que o tempo é um recurso finito do qual dispomos. Ele pode ser vendido ou pode ser usado por nós mesmos. Quando se vende, é preciso ficar atendo às oscilações do mercado para conseguir um preço razoável. Há situações em que é interessante vender o tempo a preços módicos (para poder promover seu trabalho, de modo que a qualidade possa ser apreciada). Uma vez que seu trabalho tenha sido valorizado, pode-se inflacionar o preço da hora de trabalho até um valor que você considere justo e que o mercado pague. Com relação a usar o tempo consigo mesmo, há diversas maneiras para isso: diversão (sempre), estudo, descanso e etc.  Não vou me aprofundar em nenhuma dessas maneiras pois algumas já foram abordadas aqui e outras ainda terão seus próprios posts.

Há ainda situações em que o tempo não é vendido e nem usado em benefício próprio, é quando usamos com outras pessoas, ou seja, trabalho voluntário. Mas não estou falando de trabalho voluntário no sentido demagógico da coisa. Estou falando de quando você faz algo porque quer e por saber que aquilo vai ser maneiro, tanto pra você quanto pra outra(s) pessoa(s). Por exemplo, quando você usa seu tempo conversando com um(a) amigo(a) que precisa conversar(ou desabafar),  lhe dá conselhos ou simplesmente lhe faz companhia. Ou quando visita aquele seus avós (ou mesmo seus pais), os quais não costumam receber muita atenção mas que se sentem carinhados, apesar nem sempre conseguirem demonstrar isso de uma maneira clara. Acredito que fazer esse tipo de coisa ajuda manter o equilíbrio do universo. É o que o senso comum chama de “plantar pra depois colher”. A atenção dada por você hoje é a que vai despertar o desejo de alguém lhe fazer o mesmo amanhã, mesmo que essa atenção não volte exatamente da mesma maneira como foi manifestada. É preciso ter sensibilidade para percebê-la quando ela retornar.  Ouvi uma frase terça-feira passada que tem a ver com isso: “Participação é conquistada”. É difícil as coisas acontecerem do nada, somos conquistadores por natureza, devemos conquistar nosso espaço, a atenção, o amor, o carinho e assim por diante.

Depois dessa pequena dispersão do último parágrafo, volto a falar sobre nosso tempo. Veja bem, temos um potencial de tempo instalado de 168h/semana (sim, 24h x 7 dias). Se você dormir 7h por noite, terá 49h/semana a menos em seu saldo.  Trabalhando 8h/dia, o saldo cairá para 79h disponíveis na semana. Digamos que você gasta 45 minutos para ir de casa ao trabalho e o mesmo tempo para voltar, seu saldo final, se eu não errei nenhuma conta, será de 71h30min. Logo, você tem esse tempo disponível ao longo da sua semana para vender também, gastar consigo mesmo ou dar. Portanto, não existe mágica, nosso tempo é finito e ponto final. Se assumirmos mais compromissos do que temos de tempo disponível, algo ficará sem ser feito. É como comprar algo que custa mais do que o dinheiro que você tem: uma dívida será feita (já pensou se houvesse um serviço de proteção ao crédito do tempo? Seu nome estaria lá?).

Bem, a motivação desse post é pensar sobre a maneira como você gasta esse recurso: tem sido boa? Deve ser repensada? Nossa saúde física e emocional tem sido afetada pela maneira do gasto?

É isso, pense sobre.

ps.: a figura que ilustra o post não era exatamente a que eu queria colocar, tanto que o nome do post seria: Responsabilidade Fiscal do Tempo. Então a imagem que imaginei que teria a ver com isso era de um relógio sendo depositado num porquinho(cofre). Como não achei nada parecido, essa do cofre relógio entrou no lugar. Mas de teimoso que sou, resolvi tentar desenhar do jeito que queria, como meu mouse pifou, não pude fazer no computador, então foi no celular mesmo, o resultado está abaixo. Apesar de feinho, ficou engraçado.

Porquinho do tempo

Porquinho do tempo

Anúncios

3 pensamentos sobre “tempo: vendo, troco ou financio

  1. 6 dias uteis de trabalho por semana são 26 dias por mês, vezes 16 horas por dia a 8 dólares a hora dá um total de 3.328 dolares por mês.

  2. Ao ler este post lembrei do meu professor da faculdade que sempre dizia quando a turma reclamava de mais uma prova para estudar ou mais um trabalho a entregar: “O que vc faz de meia noite as seis da manhã?”…

    Muito bom o texto. E este porquinho tá uma fofurinha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s