apatia, pilares da vida, triciclo, bicicleta, monociclo


9 - Publicado em fiqueligado.com.br

já se sentiu apático? A apatia é uma merda porque ela nos deixa desmotivado. Talvez em função da redução da minha frequência nas mesas de bar, talvez pelo cansaço no trabalho ou talvez por algumas questões em casa. Uma dessas coisas ou todas elas, me deixaram assim. Aquela sensação de que tanto faz chover para baixo como chover para cima que, por mais surpreendente que possa ser, não vai fazer diferença alguma.

É irônico me sentir assim pois eu achava uma mega frescura a mídia noticiar recentemente algo parecido em alguns jogadores (Ronaldinho Gaúcho(clique aqui) e Adriano (clique aqui)). Imagino que isso também aconteça com pessoas de áreas diversas pois é um sentimento natural a qualquer ser humano.

Mas fico tranquilo pois observei outras pessoas em situação semelhante, logo, ainda não é hora de eu procurar um psicólogo. Com relação ao aspecto profissional, li que apatia organizional é uma doença corporativa que não pode ser negligenciada pelas empresas. Num texto muito bom que li sobre apatia corporativa, o consultor de Gestão Estratégica Carlos Zaffani dizia o seguinte:

Ela é uma doença organizacional que se caracteriza pela sensação de letargia, desinteresse, abatimento moral ou físico, falta de ânimo, de  coragem e de ação entre os colaboradores e que acaba refletindo-se nas relações internas e externas, nas operações, no ambiente e até nas condições gerais das instalações e equipamentos

(Sua empresa foi contaminada pela apatia?, por Patrícia Bispo)

O texto (clique no nome dele acima para vê-lo na integra) fala sobre um possível tratamento para a apatia organizacional. O qual me parece um tanto trabalhoso. Não acho que seja impossível, mas certamente é bastante difícil. Seja como for, existe uma saída.

E pessoalmente, como funciona isso? Minha hipótese é de que na vida existem três pilares que sustentam as pessoas: a vida pessoal, a vida espiritual e a vida profissional. Quando um deles não está bem, a estrutura tende a ficar comprometida.

Imagine que cada pilar fosse a roda de um triciclo. Com as três, é possível andar com bastante conforto e sem preocupação com o equilibrio. A estabilidade é garantida pela distribuição do peso pelos três pontos de contato com o chão. Quando temos problema numa dessas áreas da vida, comprometemos a roda e, consequentemente, nosso deslocamento no triciclo.Com uma roda comprometida, eventualmente pode-se descartá-la totalmente e partir para uma bicicleta. Ao andar numa bicicleta, é possível ganhar mais velocidade em certos casos, tendo sempre que ficar atento ao equilíbrio pois há o risco iminente de cair.

Por fim, se perdessemos duas rodas, seria como andar num monociclo. Aí eu já nem sei se compensa: não se tem equilibrío, nem conforto e não é nada prático. Tendo como pilar somente a vida pessoal, ou somente a vida profissional, ou somente a espiritual, deve ser exatamente como andar num monociclo: uma roubada. É algo para se fazer raramente e só para ver como é.

E se não houver nenhum desses pilares na vida da pessoa? Aí ela tá lascada pois tudo vai ser mais difícil. É como estar a pé e sem transporte coletivo, o deslocamento vai ser custoso e cansativo. Já desistiu de ir a algum lugar só por pensar na distância que era? Então, é disso que estou falando. Acredito que o ideal sejam as três pontas em equilíbrio. Algumas pessoas conseguem lidar com apenas duas, não sei se por muito tempo. Com apenas uma é complicado e sem nenhuma, é inviável.

Voltando a falar sobre apatia, vou tentar consertar minhas rodas e voltar a me deslocar tranquilamente. E você, já ficou apático? Está com quantas rodas atualmente?

Até a próxima.

ps.: a figura de abertura do post é o 9 do filme 9 – A Salvação. A escolhi pois ele está com um semblante um tanto apático. Clique sobre a imagem para ver mais informações sobre o o filme.

Lendo sobre o assunto, reparei que a apatia
Anúncios

4 pensamentos sobre “apatia, pilares da vida, triciclo, bicicleta, monociclo

  1. Respondendo às perguntas: sim, já fiquei apática. Inúmeras vezes! Atualmente estou de triciclo. Pneus um tanto remendados, devido aos pregos e espinhos do caminho. Penso que é assim: pneus arriados, tempo de parada para acertos (no triciclo e em quem o guia). E depois.. seguir… O pneu nunca mais será o mesmo; e é bom que seja assim. O remendo serve pra lembrar que aquele caminho que passei é perigoso, põe em risco um ou todos os meus pneus!! Legal é quando me encontro com outros “tricicleiros”, cada um com sua história… enriquecedor!!!
    abçs!

  2. Talvez uma solução para a apatia seja buscar prazer em outras coisas. Falo de atividades que nos dêem prazer e nos façam desviar nossos pensamentos para outras atividades. Eu, por exemplo, posso estar me sentindo péssima, sem lugar no mundo, mas quando cuido do meu aquário eu relaxo. Não é fugir, mas tentar encarar as coisas de uma forma mais leve. Pedalando com tranqüilidade a gente chega mesmo com um pneu furado.

  3. Acho q vida espiritual eu não tenho, então, eu em minha bicicleta pelo caminho vou. Mas as vezes eu paro e descanso, paro de pedalar, coloco os pés no chão, ou os levanto pro ar, tiro as mãos do guidon(é assim q se escreve?).
    Talvez meus momentos apáticos são esses em que perco o controle, e não me importa que direção a bike vai tomar, ou se vai continuar parada.

    =***

  4. Pingback: espiritualidade « Pense Sobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s