cartas, fichas e escolhas


Cartas - publicado em mblog.net

Cartas - publicado em mblog.net

Observação: se você não joga baralho ou não gosta de poker, possivelmente não goste desse post.

Aprendi a jogar baralho bem pequeno. Jogávamos pif-paf (não conhece, clique aqui), um jogo sem fortes emoções que consistia basicamente em formar sequências de 3 cartas de mesmo tipo ou de mesmo naipe. A diversão era pelo fato de fazer algo em família – meus pais, eu e meu irmão.

No segundo grau, conheci o truco mineiro (esse aqui) que tradicionalmente era jogado lá na antiga Escola Técnica, hoje Ifes. Esse com bastante emoção pois sempre rolava sacanagem com quem perdia, de acordo com o tamanho da derrota. Certa vez fizemos uma dupla rastejar por baixo de 14 bancos no pavilhão de alunos por ter perdido de 12 a zero pra mim e meu parceiro Venâncio Kravitz (co-autor do post O terceiro elemento). Na ocasião, Venâncio provou que a mão é mais rápida que os olhos e fez um zap aparecer no momento bastante oportuno.

Nessa mesma época, aprendi a jogar Poker (Fechado de 5 cartas, esse aqui). Em linhas gerais, essa modalidade se baseia em fazer uma aposta inicial, receber as 5 cartas, trocar 1 ou mais que achar necessário para montar seu jogo ideal – dentro das combinações permitidas pelo poker, fazer uma nova rodada de apostas e finalmente mostrar o jogo. O vencedor leva as apostas daquela rodada. Nem sempre se tem as melhores cartas, mas blefando pode-se tentar persuadir os demais jogadores para conseguir vencer.

Certas vezes a vida não parece tão diferente de um jogo poker. É como se cada dia fosse uma rodada. A aposta inicial consiste em levantar da cama. Então recebe-se as cartas daquele dia, ou seja, as opções que se tem na vida (questões pessoais, profissionais, espirituais e etc). Nem sempre as coisas são do jeito que gostaríamos que fosse (talvez na maioria das vezes), ou seja, nem sempre temos a mão ideal com uma dupla ou duas duplas ou uma trinca ou um four ou um full hand ou um flash ou um royal straight flash ( são as combinações de cartas do poker, confira aqui se quiser saber mais). E o que se aposta? Nada menos do que ações que vão interferir direta ou indiretamente em nossas vidas. Ao longo do dia, entre vitórias e derrotas, fichas vão sendo acumuladas. Um desafio enorme nisso tudo é saber o valor de cada ficha que se tem para apostar. Me parece que não há reposição para a maior parte delas. Daí a necessidade de jogar cada rodada com muita atenção.

Fichas - publicado em www.pixmac.com.br
Fichas – publicado em http://www.pixmac.com.br

Algumas fichas nunca deveriam ser apostadas. Já outras fichas, uma vez ganhas, dão vontade de levantar da mesa e não jogar nunca mais, o que felizmente ou infelizmente é impossível. Existem ainda aquelas fichas que apostamos e apostamos querendo nos desfazer delas mas não conseguimos.

Seja como for, assim como a certeza que temos de que um dia nossa vida irá chegar ao fim, a certeza que se tem num jogo de poker é que cada rodada irá terminar com você ganhando ou perdendo. Portanto, pense bem no que está apostando e avalie bem suas cartas (opções) antes de decidir ir até o fim da rodada, isso pode reduzir uma possível perda.

Pense sobre.

ps.: estou tentando normalizar a publicação do blog, voltando a um post por semana.

Anúncios

Um pensamento sobre “cartas, fichas e escolhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s