relações ecológicas sociais (gente grande)


Gente grande - publicado em www.impawards.com

Gente grande - publicado em http://www.impawards.com

Assim como a mãe natureza possui as relações ecológicas, a vida em sociedade possui as relações ecológicas sociais – minha definição para explicar as interações com as pessoas que nos cercam.

Me parece que existem dois grupos de tipos de amizades: a verdadeira e as outras. A amizade de verdade é aquela que navega pelas marés calmas e pelas tempestades, mantendo sua harmonia. Numa analogia às relações ecológicas, a amizade verdadeira seria um tipo de protocooperação, em que as duas pessoas optam pela relação e são beneficiadas com por ela, apesar de poderem viver independentemente.

No grupo das outras amizades, várias associações ecológicas podem ser estabelecidas. Talvez a menos *palha seja o inquilinismo, pois um dos participantes se beneficia mas sem que haja prejuízo ao outro. Uma amizade do tipo comensalismo pode ser considerada como ruim/humilhante, com um dos participantes se alimentando dos “restos” (atenção, tempo,  cuidado) do outro. Não se trata de priorizar as outras amizades, mas se há dedicação de fato para que a relação se mantenha e evolua. Os dois outros tipos de amizades são: predatismo e parasitismo.

O primeiro tipo consiste na perseguição e “abate” da outra pessoa participante da relação, isso para a sobrevivência do predador. Tal tipo de relação é bastante comum no mercado de trabalho, sobretudo com a competição contemporânea. O segundo tipo de relação trata da interação em dos participantes retira o que precisa do outro. Não chega a abatê-lo por completo, mas é desarmônica por causar algum tipo de sofrimento. É o que popularmente chamamos de relações por interesse, facilmente encontradas quando se lida com pessoas interesseiras/falsas.

Isso posto, me parece que o que chamei de amizade verdadeira seja a amizade de fato. Em que os participantes da relação são beneficiados mutuamente, compartilhando tanto os momentos bons quantos os outros. Os outros tipos de amizade, onde apenas um participante é beneficiado podem até ser o início de algo maior, mas há que se ter cuidado para não entrar numa relação não construtiva.

Outro ponto a ser frisado é que amigos são diferentes de colegas. Colegas são pessoas que partilham de algum convívio por estarem juntos durante uma parcela de tempo em função de determinado contexto. Ex.: colegas de escola – podem se tornar amigos, isso será fruto da evolução da relação, todavia, sua convivência determina apenas uma relação entre colegas e não obrigatoriamente uma amizade. Portanto, amigo é uma coisa e colega é outra.

A amizade acontece, é um fenômeno da natureza oriundo do interesse mútuo. Ela, como toda relação, requer tempo, dedicação, vontade de fazer dar certo. Dessa forma se torna uma via de mão dupla e evolui para o seu estágio ideal: a protocoperação social. É interessante que as amizades verdadeiras tendem a não mudar com o tempo. O carinho, a intimidade e a consideração tendem a aumentar com o convívio e a variar muito pouco com a distância.

Por falar em amizade, entrou em cartaz o filme Gente Grande (clique aqui pra ver a sinopse) que é uma singela homenagem à amizade. Ele fala sobre um grupo de 5 amigos de infância que se reencontram depois de crescidos (por isso o nome em inglês: Grows Ups). Com o reencontro, a estima e a solidariedade, peculiares à amizade, vêm a tona seguida de alguma sacanagem(brincadeiras inocentes e outras nem tanto), afinal ninguém é de ferro e é rindo que a gente vive mais e melhor. Certa vez ouvi que “os amigos de infância são os que ficam”. Imagino que isso seja verdade porque na infância há mais inocência nas ações e a afinidade pese mais do que os interesses.  Todavia, nem todas as amizades resistem ao tempo. Aquelas que sobrevivem ao tempo enfrentam outro desafio: resistir à falta de tempo.

É isso, pense sobre.

*palha = termo capixaba designado para expressar algo sem graça.

Extras:

Veja também as definições que encontrei no  iDicionário Aulete:

Amigo: 1. Aquele que mantém (com outrem) relação de amizade, coleguismo ou companheirismo;
2. Indivíduo que toma o partido de alguém ou de algo ou o protege;
6. Que demonstra afeto, simpatia, benevolência por algo ou alguém: um patrão amigo dos empregados;
7. Que protege, consola, defende, acolhe;

Amizade: 1. Sentimento de estima ou de solidariedade entre pessoas, grupos etc.
3. Relação de caráter social.
4. Sentimento ou estado de entendimento entre pessoas, grupos, países etc.

Colega: 1. Pessoa que em relação a outra(s) pertence à mesma classe, corporação, sociedade etc., ou frequenta o mesmo colégio ou a mesma classe, ou a mesma comunidade etc., ou exerce a mesma profissão, atividade etc.;
2. Pessoa que, em relação a outra, exerce a mesma profissão, atividade ou função:

Gente Grande (clique aqui pra ver a sinopse) é uma singela homenagem à amizade. Ele fala sobre um grupo de 5 amigos de infância que se reencontram depois de crescidos (por isso o nome em ingles: Grows Ups). Com o reencontro, a estima e a solidariedade, peculiares à amizade, vêm a tona seguida de alguma sacanagem(brincadeiras inocentes e outras nem tanto), afinal ninguem é de ferro.

Certa vez ouvi que “os amigos de infância são os que ficam”. Imagino que isso seja verdade porque na infância há mais inocência nas ações e a afinidade pese mais do que os interesses.  Todavia, nem todas as amizades resistem ao tempo. Aquelas que sobrevivem ao tempo enfretam outro desafio: resistir à falta de tempo.

Anúncios

Um pensamento sobre “relações ecológicas sociais (gente grande)

  1. Pra mim a amizade verdadeira mudar muito pouco com o tempo ou com a distância é tão utópica quanto o amor eterno. Sempre lindo nos filmes, mas a realidade é outra, dentro desse conceito, vamos chegar ao fim da vida e e crer que nunca tivemos amizades verdadeiras.

    É muito difícil classificarr as pessoas fora do ambiente de trabalho, chego a essa conclusão. Nunca seremos justos. Talvez vc faça um bom trabalho eliminando o resto das pessoas, essas amizades que não levam a nada em pouco tempo. Mas nunca saberá se nunca errou.

    Escreve muito bem, belas palavras escolhidas para descrever uma utopia.

    P.S. Um beijo na testa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s