aqui (ou pequenos prazeres da vida)


aqui (ou pequenos prazeres da vida)

aqui (ou pequenos prazeres da vida)

Dia desses, tarde da noite assistindo TV, vi uma entrevista (veja aqui) do Rodrigo Santoro na Marília Gabriela. Seria algo corriqueiro se não fosse pelo o fato de eles terem começado a falar sobre meditação, ou descanso pra mente, como ele mesmo diz no vídeo. Alguns argumentos da fala dele, um argumento em especial me chamou a atenção: que o cérebro não tem descanso(durante o dia, pensamos numa série de coisas, a noite, sonhamos e, apesar de não lembrarmos sempre, nossa mente continua trabalhando). A meditação, a grosso modo, seria um descanso planejado/programado para o cérebro, a fim de nos ajudar a estarmos “aqui“.

Nosso cotidiano costuma ser bastante corrido, sobretudo nas grande cidades. Vivemos num estado de ansiedade induzida (falei sobre neste post), ou seja, em boa parte do tempo estamos preocupados com o que passou ou com o que virá. Essa preocupação faz com que deixemos de lado o momento mais importante que é o aqui (agora). Não se trata de carpe diem ou de viver inconseqüentemente, mas sim de se concentrar no que estiver fazendo e viver (valorizar) aquele tempo, seja ele esplendoroso ou trivial.

Repare na fogo de abertura do post, o garotinho olhando os peixes no chafariz. Quando fotografei essa cena, pensei exatamente isso: o mundo pode acabar agora que na cabeça dele, provavelmente, só importa acompanhar a trajetória do peixe na água. Bem, ele poderia estar pensando em outra coisa, mas certamente algo relacionado àquele contexto. Imagino que ele não estivesse pensando na creche que teria que ir segunda-feira ou no que a professora havia pensado do desenho que ele havia feito na sexta-feira. Ele estava ali vivendo aquele instante, sem preocupações.

Obviamente que conforme caminhamos em direção à vida adulta, as responsabilidades tendem a aumentar significativamente. Diante disso, é natural certo nível de ansiedade e preocupação. O perigo está em ficar concentrado apenas nisso. É preciso relaxar e aproveitar os pequenos prazeres da vida e não restringir nosso viver.

Há uma canção sensacional do Arnaldo Antunes que fala a respeito de pequenos prazeres da vida chamada Num dia, vou colocar o clip e a letra abaixo. Ela possui vários versos importantes, vou negritar os meus favoritos.

Pense sobre seu aqui.

Até a próxima.

Num dia (Arnaldo Antunes)

Sujar o pé de areia pra depois lavar na água
Lavar o pé na água pra depois sujar de areia
Esperar o vaga-lume piscar outra vez
Ouvir a onda mais distante por trás da onda mais próxima
Sujar o pé de areia pra depois lavar na água

Respirar
Sentir o sabor do que comer
Caminhar
Se chover, tomar chuva
Não esperar nada acontecer
Ser gentil com qualquer pessoa

Sujar o pé de areia pra depois lavar na água
Lavar o pé na água pra depois sujar de areia
Esperar o vaga-lume piscar outra vez
Ouvir a onda mais distante por trás da onda mais próxima

Respirar
Sentir o sabor do que comer
Caminhar
Se chover, tomar chuva
Ter saudade no final da tarde
Para quando escurecer, esquecer
Ao se deitar para dormir, dormir (4x)
Dormir.

ps.: quando eu souber mais sobre meditação, publico um post apenas sobre o assunto. Por enquanto, fico com a lição de casa de aprender mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s