De repente 30?

Os pelos que faltam na minha cabeça sobram no meu rosto. A natureza consegue ser irônica às vezes. Rir das peças que ela nos prega é uma forma mais amena de viver a vida. Tal maneira se apresenta cada vez mais adequada quando me vem a sensação de que tudo passa tão rapidamente.

Há quem diga que o trinta de hoje é o vinte de ontem. Como é o primeiro trinta de que me recordo, não sei validar a afirmação. Contudo, realmente passou rápido… Curioso é que quantos mais anos colecionamos, maior a dificuldade em lembrar de cada um deles. Não sei se pela ação do tempo ou por algum outro motivo, a memória parece não acompanhar a passagem dos dias. Quando penso no passado, me vem à mente um número sem fim de recortes (memórias) de jornal espalhados numa caixa de sapatos (pensamento). Pelos recortes, vou tentando estruturar o quebra cabeça da lembrança.

Considerando uma expectativa de 60, 70 anos, estou chegando à metade do caminho. Um instinto de urgência surge eventualmente e me assombra por realizações concretas. No restante do tempo, a paz de espírito parece imperar, me dizendo que o caminho é esse mesmo e que o ritmo está bom. Mas a reflexão sobre o que eu devo esperar de mim mesmo permanece, inconscientemente. Acredito que essa pergunta ficará sem resposta, pois nossas expectativas mudam constantemente e uma resposta definitiva selaria algo que é essencialmente mutável.

A comparação com pessoas de mesma idade é tentadora para saber se realmente estou fazendo o que é esperado. Porém, o risco de uma avaliação equivocada me desestimula a comparar. Comparações podem ser perigosas, apesar de ser a nossa forma de assimilar novos conceitos. A única comparação plausível seria comigo mesmo ao longo do tempo para tentar identificar as mudanças ocorridas.Neste caso também existem complicações pois não é apenas nosso corpo que está em constante mudança, mas nossa mente. Conforme experienciamos mais da vida, nosso pensamento se molda à nova quantidade de informações reunidas, assim, nos transformamos. Há quem lute contra isso ou que tenha maior dificuldade em “amanhecer o pensamento”, mas acredito que mesmo nesses casos seja possível contemplar avanços.

Enfileirando todos os percalços e acertos, continuando sendo um amante da vida, querendo suas surpresas e destemperos continuamente. Acho que me habituei à suas manias e não consigo me ver sem ela e seu gradiente de possibilidades. Talvez, como numa relação amorosa, o amor tenha surgido com o aprendizado a respeito um  do outro. De minha parte, quanto mais sei dela, mais me apaixono, amo. Da parte dela, não sei dizer, mas consigo sentir/perceber suas reações com cada vez mais clareza.

O Lobão viveu 50 a mil, o Marcelo Camelo diz que leva a vida devagar pra não faltar amor. Quanto a mim, nem tanto, nem tão pouco. Que venha mais vida pra ser vivida intensamente, seja num piscar de olhos ou vagarosamente.

Pra fechar, a música tema dos últimos aniversários, correndo o risco de virar o hino comemorativo da data:

Nando Reis – Dessa vez

É bom olhar pra trás e admirar a vida que soubemos fazer
É bom olhar pra frente, é bom nunca é igual
Olhar, beijar e ouvir, cantar um novo dia nascendo
É bom e é tão diferente
Eu não vou chorar, você não vai chorar
Você pode entender que eu não vou mais te ver
Por enquanto, sorria e saiba o que eu sei eu te amo

É bom se apaixonar, ficar feliz, te ver feliz me faz bem
Foi bom se apaixonar, foi bom, e é bom, e o que será?
Por pensar demais eu preferi não pensar demais
dessa vez..
Foi tão bom e porque será
Eu não vou chorar, você não vai chorar
Ninguém precisa chorar mas eu só posso te dizer
Por enquanto, que nessa linda estória os diabos são anjos

Anúncios

seu aniversário, indicador de felicidade e coeficiente de paz

Bolos

Bolos

às vésperas de completar mais um ano (3/10), o tema aniversário é natural. O que significa aniversário? Significa que se passaram mais 365 dias(ou 366 se for ano bissexto) desde o último incremento da sua idade. Em alguns casos, passaram também 365 dias desde a última comemoração, onde se foi a pessoa mais importante do dia, recebendo comprimentos, abraços, emails e toda aquela atenção que nos faz sentir especiais.

Aniversário é sinônimo de festa, comer coisas gostosas, ver a família e amigos, enfim, festa. Mas poxa, 1 ano é muito tempo, ter um dia especial a cada volta completa em torno do sol me parece pouco.  Várias das coisas legais que se pode fazer no dia do aniversário, também podem ser feitas nos outros dias do ano, com uma grande vantagem sobre o aniversário, você não envelhece, afinal, contamos anos e não dias.

Dias felizes são construídos a partir de momentos felizes, como uma farofada na praia, um almoço em família, uma tarde com amigos jogando Imagem e Ação, lendo um livro bacana, vendo um filminho no cinema, jogando conversa fora, trabalhando no que se gosta e tantas outras coisas que trazem alegria ao coração.

Por falar em dias felizes, já parou pra pensar em felicidade? O Google trás algumas definições:

Mas felicidade é aglutinação dos momentos felizes da vida. Por um prisma mais objetivo, seria um indicador. Um medidor para mostrar que estar vivo tem valido a pena, tanto para si mesmo quanto para os outros. Quando o indicador diz que não, é o caso de rever o que está errado e ajustar o leme, para navegar ao encontro de condições favoráveis para a geração de momentos felizes.

E como se faz para saber o que o indicador diz? Ora, sentindo. Simples assim. Para ficar mais didático, pensei numa formula para ajudar calcular esse índice:

Fórmula do calculo aproximado da felicidade

Fórmula do calculo aproximado da felicidade

Fórmula do calculo aproximado da felicidade

Eu sei que é uma mega pretensão querer transformar em exato o calculo da felicidade, mas peço licença poética(ou bloguética?) para tanto. Vamos lá, essa fórmula funciona da seguinte maneira:

  1. calcule o somatório dos seus momentos felizes de i a j –  ( ex.: i = 1 e j = 30)
  2. divida pela quantidade de momentos j – (  j é o número de períodos apurados, dividindo por ele, você terá a média simples)
  3. multiplique pelo coeficiente de paz ( Cp ) interior –  ( multiplique pelo coeficiente de paz interior, afinal, não existe felicidade sem paz interior, por mais momentos alegres que se possa desfrutar; voltarei a falar disso no futuro)
  4. Se o resultado for positivo, parabéns, segundo minha teoria, você é feliz. Se for negativo, ajuste o leme, fique atento para onde o vento está sobrando soprando, mude a direção da velas e vá ser feliz

Pra terminar, sugiro que comemore seu aniversário e os outros dias do ano também, não precisam ser todos, afinal, ninguém é de ferro.  A vida não é fácil, Eddie Vedder canta isso no refrão de Hard Sun:

There’s a big Existe um grande
A big hard sun Um grande sol duro
Beating on the big people Batendo nas pessoas grandes
In the big hard world No grande mundo duro

mas devemos fazer nossa parte para que ela seja, no mínimo, mais feliz.